Twitter Facebook

CUT GO > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUES > ELDORADO DE CARAJÁS: 22 ANOS DE IMPUNIDADE

Eldorado de Carajás: 22 anos de impunidade

17/04/2018

"A luta camponesa veio para ficar. De nada adianta a violência tentar impor o atraso"

Escrito por: Maisa Lima, assessora de Comunicação da CUT Goiás

 
 
Pedro Wilson Guimarães, 76, fez nesta terça-feira (17) uma visita ilustre à Rádio Trabalhador. Advogado, professor universitário, sociólogo e político, foi reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) entre 1985 e 1988. Um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) em Goiás em 1980, sua biografia política contabiliza mandatos de vereador de Goiânia (1993-1995), deputado federal por Goiás (1995-2000; 2007-2011) e prefeito de Goiânia (2001-2004). Assumiu a coordenação do Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH) em 1990 e ao eleger-se novamente deputado federal em 2007 tornou-se titular da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM).
 
Atualmente um dos coordenadores do Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduíno, Pedro Wilson reafirmou à RT (www.radiotrabalhador.com.br) a denúncia da impunidade dos responsáveis pelo massacre de Eldorado de Carajás (PA). Há 22 anos, 19 trabalhadores sem-terra foram mortos pela Polícia Militar do Estado do Pará. O confronto ocorreu quando os acampados decidiram fazer uma marcha em protesto contra a demora da desapropriação de terras.
 
"A luta camponesa veio para ficar. De nada adianta a violência tentar impor o atraso. A ocupação da terra pelas famílias que nela trabalham, a agricultura familiar, significa mais democracia", pontuou Pedro Wilson.
 
O ativista em Direitos Humanos também está preocupado com a destruição do Cerrado. Em Goiás, os parques de preservação representam apenas 1% de todo cerrado goiano, enquanto que em outros Estados a média é de 2,5%, muito abaixo das metas internacionais que é de 10%. Segundo dados da WWF (World Wide Foundation), cerca de 60% do cerrado goiano já foi retirado, dando lugar a pastagens, 6% foram destinados à agricultura, 14% destinados à ocupação urbana e construção de estradas, somente 19% de cerrado se encontram conservados.
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

TV CUT
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.
João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta solidariedade a sindicalistas coeranos presos.

João Felício, presidente da CSI, Confederação Sindical Internacional, presta(...)

RÁDIO CUT
Parceria CUT-GO e Banco do Brasil

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE GOIÁS
Rua Setenta, 661 – Qd. 127, Lt. 71| Centro | CEP 74055-120 | Goiânia | GO
Fone: (55 62) 3224.0169 | www.cut-go.org.br | e-mail: cutgo1@gmail.com