Twitter Facebook

CUT GO > ARTIGOS > AMO MINHA PÁTRIA

Amo minha pátria

Escrito po: Pinheiro Salles

26/06/2017

Pinheiro Salles é jornalista e bacharel em Direito. Passou nove anos nos porões da ditadura militar. É vice-presidente da Comissão Nacional de Ética dos jornalistas profissionais.

Estou às vésperas de mais um embarque para outro país, onde cumprirei uma série de compromissos. E, como o poeta Vinícius de Moraes no exílio, também poderei chorar “longas lágrimas amargas” com saudades da minha pátria. É que, quase tanto quanto durante os 21 anos de tirania da ditadura militar (1964-1985), estamos atravessando um período de lamentáveis dificuldades, de indignação, dissabores, exacerbadas melancolias. 
 
Como ontem, hoje e como sempre, a resistência é imprescindível. Mas se a luta é necessária, isso não significa a abolição da possibilidade do pranto, porque uma indisfarçável tristeza perpassa toda a extensão dos nossos sentimentos. Filhas e filhos deste solo já ofereceram seu sangue, em diferentes momentos da história, na construção da democracia e da soberania nacional. Mas agora até parece precisar mais, bem mais, quando em nosso peito o coração grita de vergonha e humilhação. 
 
E, mais uma vez como o poeta, sinto “vontade de beijar os olhos de minha pátria, de niná-la, de passar-lhe a mão pelos cabelos”... No entanto, essa vontade não basta. Outra greve geral se anuncia, sacudindo as ruas, iluminando horizontes e mordendo o calcanhar dos safados políticos que nos governam. Na paralisação anterior, em Goiânia, partiram a cabeça de Mateus. E mais homens e mulheres se levantam, reunindo corações despedaçados, garantindo o acendimento da esperança e de um novo sol. 
 
Finalmente, devo aqui salientar a minha convicção de que, muito acima de qualquer patriotismo, está o internacionalismo proletário, com a vitória futura da libertação e da união de todos os povos do mundo. Se sinto nojo de brasileiros como Aécio Neves e Michel Temer, é que conquistamos o direito de amar a nossa pátria. Não importa em nome de quem está registrada a terra: ela é do povo. Eu a amo, assim como amo a nossa gente, as nossas montanhas, florestas, cerrados, o rio Araguaia, o Guaíba e o rio Jequitinhonha da minha infância mineira.
  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

TV CUT
RÁDIO CUT
Parceria CUT-GO e Banco do Brasil

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES DE GOIÁS
Rua Setenta, 661 – Qd. 127, Lt. 71| Centro | CEP 74055-120 | Goiânia | GO
Fone: (55 62) 3224.0169 | www.cut-go.org.br | e-mail: cutgo1@gmail.com